The dark side of the: morar sozinha

Faz cerca de três meses que eu saí da casa do meu pai e decidi morar sozinha. Com o tempo, você acaba percebendo que não dá para exigir certas coisas ou reivindicar uma liberdade de espaço quando a casa não é sua e você não paga pela sua estadia nela. Foi em um desses problemas familiares que acabei me desentendendo com o meu pai e me dei um prazo para sair e virar dona da minha vida.

Em um mês e meio eu arrumei um emprego, procurei um apartamento e ainda me virei para comprar toda a mobília. Nessas horas foi que eu dei graças a nossa senhora do cartão de crédito que nunca me deixou passar do limite e "sujar" o meu nome na praça. Dei uma sorte danada com a black friday e consegui montar o meu apartamento com os itens básicos de sobrevivência. Nós costumamos dizer que é difícil achar algo que esteja dentro dos nossos orçamentos, mas é só porque acreditamos que vamos sair de casa para um lugar incrível com localização excelente. Infelizmente essa é uma parte que as pessoas se esquecem de dizer: não funciona assim. Eu moro num apartamento kitnet- o famoso quarto e sala - super espaçoso, com divisória de quartos e banheiro separado, no centro da minha cidade. Isso foi sorte. É preciso visitar inúmeros apartamentos até encontrar um no qual você se identifique. É caro morar sozinha. Em alguns momentos é preciso trabalhar o dobro, vender folgas, dormir menos, fazer bicos extras. O número de contas, honestamente parece cada vez maior, e seu relacionamento com o banco vira um fiasco.

Mas há conforto, há liberdade. Sua casa, suas coisas, suas regras. O preço de uma vida independente é alto, se você se dispor a pagar. Ninguém avisa que, se você não comprar, arrumar, lavar, limpar, essas coisas não serão feitas sozinhas. Se você não paga pela sua internet, a wifi do seu vizinho não será liberada para você. Você adquiri responsabilidades inevitáveis. Não se pode largar o emprego quando der na telha, porque o seu aluguel no fim do mês não será esquecido ou pago sozinho caso você o faça, independente da sua desilusão com a vida adulta. Não se tem duas férias anuais. Não se pode fingir que está doente para ficar dormindo até mais tarde, sem consequências. A dor de cabeça da rotina te deixa e te busca na porta do trabalho. O dinheiro demora a aparecer, mas vai embora com rapidez entre um código de barras e outro. 

Por outro lado, você passa a valorizar o que rende do teu esforço mensal. A satisfação de chegar em casa - na sua casa - e fazer o que você estiver com vontade é gloriosa. Você aproveita mais as suas folgas. As suas horas vagas se tornam preciosas. Você para de gastar dinheiro com tanta coisa inútil e começa a se perguntar se você realmente quer ou precisa daquilo para viver. O amadurecimento invade a sua vida. Você se torna responsável pelos seus atos e mais cuidadoso com os mesmos. Você aprende a se tornar mais leve, mesmo levando uma rotina sempre tão pesada. E apesar de todo o lado negro de morar sozinha, as coisas ruins não superam as boas.

7 comentários:

  1. Quando li que você ia publicar falando sobre morar sozinha, logo me interessei! Nunca fiquei muito tempo sozinha ~morei apenas dois meses num apê~ mas senti exatamente o que disse ai! Parar de comprar besteiras, ter seu momento, seu horário do jeito que quiser e principalmente amadurecer, isso acontece demais! E é legal \o/
    Ainda bem que as ruins não superam!
    Que tudo dê certo ai, mil beijos <3
    Tamy | www.descoladavida.com

    ResponderExcluir
  2. Venho pensando demais nisso, Sammy! Sobre como me organizar pra poder começar isso do zero, porque é um grande desafio. É gratificante ver que tá dando certo pra você!

    ResponderExcluir
  3. Amei teu texto (e teu blog!)
    Tô numa fase em que é bom ouvir (ou no caso, ler) que apesar de todas as dificuldades esse é um esforço que vale a pena.
    Não consigo nem imaginar o quanto tu deve ter amadurecido nesses poucos meses, e se serve de apoio, acredito que de agora em diante as coisas só ficam mais fáceis e mais leves ^^'
    beijos :*

    ResponderExcluir
  4. Hey gatchenhan, o início é barra mesmo, mas meu.. você já está fazendo muito mais do que muitos que conheço que moram sozinhos há anos HAHAHAHA...
    Já está sendo correria e o principal, tendo consciência de que será preciso muito planejamento, educação financeira e foco..
    Te desejo toda a sorte do mundo em sua nova fase, e ah.. pelo visto você vai ahazar, já to vendo isso ;)

    Beijos e sucesso =*

    Faroeste Manolo

    Página Facebook

    ResponderExcluir
  5. É exatamente isso! Ainda não me mudei da casa dos meus pais, mas venho pensando nisso constantemente, porque tem certas coisas que realmente não da e chega a um limite, mas ai penso exatamente nisso, nas despesas e tudo que vou ter que aprender a fazer sozinha. Infelizmente só vou poder fazer realmente isso quando tiver um emprego fixo, porque nenhum estágio vai segurar meu aluguel. Adorei o post!

    Beijos!
    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
  6. Nada se compara a ter uma casa onde você é rainha, rs!!!! Você faz o que quer e bem entende e isso não tem preço!!!
    Beijos!

    Blog Querido Deus obg por me exportar!

    ResponderExcluir
  7. Eu me mudei da casa da minha mãe em julho do ano passado, pelos mesmos motivos que tu. E realmente existe esse dark side, mas acho que isso faz tu amadurecer bem mais rápido, e aprender a lidar com uma pá de coisas (se tiver um animal de estimação então, nem se fala).

    Abraço, A.
    Blog Casa Cafeina | DIY e Decoração

    ResponderExcluir